Compartilhar
Informação da revista
Vol. 63. Núm. 6.
Páginas 508-510 (01 Novembro 2013)
Compartilhar
Compartilhar
Baixar PDF
Mais opções do artigo
Vol. 63. Núm. 6.
Páginas 508-510 (01 Novembro 2013)
Informação Clínica
DOI: 10.1016/j.bjan.2012.09.004
Open Access
Obstrução das vias aéreas com risco para a vida, causada por edema de via aérea superior e inchaço cervical significativo depois do trabalho de parto/parto
Visitas
580
Junko Ushirodaa, Satoki Inouea,
Autor para correspondência
seninoue@naramed-u.ac.jp

Autor para correspondência.
, Junji Egawaa, Yasunobu Kawanob, Masahiko Kawaguchia, Hitoshi Furuyaa
a Departamento de Anestesiologia, Nara Medical University, Kashihara, Japão
b Divisão de Terapia Intensiva, Nara Medical University, Kashihara, Japão
Este item recebeu
580
Visitas

Under a Creative Commons license
Informação do artigo
Resumo
Experiência e objetivos

Em geral, alterações nas vias aéreas ocorrem em grávidas normais; no entanto, essas alterações podem gerar situações críticas em populações específicas.

Objetivos

Esse artigo apresenta o caso de uma paciente que entrou em choque por causa de sangramento atônico em seguida a parto vaginal de natimorto.

Relato de caso

Mulher com 32 anos com sangramento atônico em seguida a parto vaginal de natimorto foi transferida para nosso hospital. A paciente manifestou choque e seu estado respiratório estava em progressiva deterioração. Ficou evidenciada obstrução das vias aéreas causada por inchaço cervical e edema faringolaríngeo. Tentamos intubação traqueal utilizando laringoscopia direta e indireta. No entanto, não foi possível inserir qualquer dos dispositivos de laringoscopia tentados. Depois de várias tentativas com Trachlight™, finalmente obtivemos sucesso com a intubação. Depois da histerectomia, a paciente foi internada na unidade de terapia intensiva (UTI), onde ficou em tratamento durante cinco dias. Ao receber alta da UTI, tinha escore de Mallampati I-II. Durante sua estadia na UTI, seu peso diminuiu de 60kg para 51kg.

Conclusões

É provável que episódios simultâneos de trabalho de parto/parto e de ressuscitação com fluidos pioraram suficientemente o edema de via aérea e o inchaço cervical a ponto de causar obstrução aguda das vias aéreas e dificuldade na laringoscopia.

Palavras-chave:
Trabalho de parto/parto
Via aérea difícil
Edema de via aérea
O texto completo está disponível em PDF
References
[1]
M. Boutonnet, V. Faitot, A. Katz, et al.
Mallampati class changes during pregnancy, labour, and after delivery: can these be predicted?.
Br J Anaesth., 104 (2010), pp. 67-70
[2]
B.S. Kodali, S. Chandrasekhar, L.N. Bulich, et al.
Airway changes during labor and delivery.
Anesthesiology., 108 (2008), pp. 357-362
[3]
K. Bhavani-Shankar, E.P. Lynch, S. Datta.
Airway changes during cesarean hysterectomy.
Can J Anaesth., 47 (2000), pp. 338-341
[4]
S. Pilkington, F. Carli, M.J. Dakin, et al.
Increase in Mallampati score during pregnancy.
Br J Anaesth., 74 (1995), pp. 638-642
[5]
E.L. Farcon, M.H. Kim, G.F. Marx.
Changing Mallampati score during labour.
Can J Anaesth., 41 (1994), pp. 50-51
[6]
G. Iohom, M. Ronayne, A.J. Cunningham.
Prediction of difficult tracheal intubation.
Eur J Anaesthesiol., 20 (2003), pp. 31-36
[7]
E.A. Ochroch, D.M. Eckmann.
Clinical application of acoustic reflectometry in predicting the difficult airway.
Anesth Analg., 95 (2002), pp. 645-649
[8]
P.J. Heller, E.P. Scheider, G.F. Marx.
Pharyngolaryngeal edema as a presenting symptom in preeclampsia.
Obstet Gynecol., 62 (1983), pp. 523-524
[9]
D.A. Rocke, P.G. Scoones.
Rapidly progressive laryngeal oedema associated with pregnancy-aggravated hypertension.
Anaesthesia., 47 (1992), pp. 141-143
[10]
G. Dobb.
Laryngeal oedema complicating obstetric anaesthesia.
Anaesthesia., 33 (1978), pp. 839-840
[11]
A.J.M. Procter, J.B. White.
Laryngeal oedema in pregnancy.
Anaesthesia., 38 (1983), pp. 167
[12]
A.I. Mackenzie.
Laryngeal oedema complicating obstetric anaethesia.Three cases.
Anaesthesia., 33 (1978), pp. 271-272
[13]
R. Jouppila, P. Jouppila, A. Hollmn.
Laryngeal oedema as an obstetric anaesthesia complication.
Acta Anaethesiol Stand., 24 (1980), pp. 97-98
[14]
K. Bhavani-Shankar, E.P. Lynch, S. Datta.
Airway changes during cesarean hysterectomy.
Can J Anaesth., 47 (2000), pp. 338-341
[15]
J.L. Falk, J.F. O’Brien, R. Kerr.
Fluid resuscitation in traumatic hemorrhagic shock.
Crit Care Clin., 8 (1992), pp. 323-340
[16]
American Society of Anesthesiologists Task Force on Management of the Difficult Airway. Practice guidelines for management of the difficult airway: an updated report by the American Society of Anesthesiologists Task Force on Management of the Difficult Airway. Anesthesiology. 2003;98: 1269-77.
[17]
F. Agrò, O.R. Hung, R. Cataldo, et al.
Lightwand intubation using the Trachlight: a brief review of current knowledge.
Can J Anaesth., 48 (2001), pp. 592-599

Estudo realizado no Departamento de Anestesiologia, Nara Medical University, Kashihara, Japão.

Copyright © 2013. Sociedade Brasileira de Anestesiologia
Idiomas
Brazilian Journal of Anesthesiology

Receba a nossa Newsletter

Opções de artigo
Ferramentas
es en pt
Política de cookies Cookies policy Política de cookies
Utilizamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios y mostrarle publicidad relacionada con sus preferencias mediante el análisis de sus hábitos de navegación. Si continua navegando, consideramos que acepta su uso. Puede cambiar la configuración u obtener más información aquí. To improve our services and products, we use "cookies" (own or third parties authorized) to show advertising related to client preferences through the analyses of navigation customer behavior. Continuing navigation will be considered as acceptance of this use. You can change the settings or obtain more information by clicking here. Utilizamos cookies próprios e de terceiros para melhorar nossos serviços e mostrar publicidade relacionada às suas preferências, analisando seus hábitos de navegação. Se continuar a navegar, consideramos que aceita o seu uso. Você pode alterar a configuração ou obter mais informações aqui.